sábado, 10 de novembro de 2018

Montanha Magica*

A convite do projeto Montanha Mágica* Arte e Paisagem da Universidade da Beira Interior - UBI realizámos uma residência artística, em junho deste ano, na Serra da Estrela. Essa experiência materializa-se agora numa exposição no Museu de Lanifícios da Covilhã com o título Residir é mais um atravessar. A exposição pode ser visitada até ao dia 30 de Novembro. Toda a programação aqui.

Following an invitation by the Magic Mountain* Art and Landscape project by the Universidade da Beira Interior - UBI, we were on an artist residency, June this year, at the Serra da Estrela. This experience materializes now in an exhibition at the Covilhã Museu de Lanifícios (Wool Museum), the titled is Residir é mais um atravessar (residing is more of a passing through). The exhibition closes on the 30th November. Check the programme here.

MM_cartaz.jpg

Na nossa residência de uma semana serrana, residir é mais um atravessar. A cadência do caminhar diário marca o passo e a perspetiva sobre o lugar, a que se juntam as pausas: tempos para parar, tempos para pensar. E para recolher também: objetos e imagens – as mentais e as outras.
E da entidade una da montanha, matérias por vezes despegam-se. São paus, ramos, pedras, frutos, pequenos animais, nevoeiro. Coisas intrigantes com as quais tentamos relacionar-nos, recuperar uma imagem na relação connosco e com a sua origem. Tudo é da montanha e tudo é de outra coisa também.
O trilho é circular, e vão-se descobrindo coisas no percurso.


Residir_LR.jpg

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Zine 8







fanzine by Ó! Edições with 12 exclusive illustrations by Daniel Moreira

Hand pulled silkscreen cover, paper Munken Pure 230gsm
2 coloured Risograph prints, paper Munken Pure 130gsm
series of 100
22 x 19,5 cm

Shuttle

Daniel Moreira e Rita Castro Neves






Apoio à nossa participação da exposição Jardim Atlântico no Centro Cultural do Patrimônio Paço Imperial do Rio de Janeiro | Support for our participation in the exhibition Jardim Atlântico at the Brazilian Centro Cultural do Patrimônio Paço Imperial in Rio de Janeiro:

Programa Shuttle de Internacionalização Artística, Programa Pláka, Câmara Municipal do Porto
Artistic Internationalization Shuttle Program, Pláka Program, Oporto City Hall


 More info here.


Sem Imago Mundi

Daniel Moreira e Rita Castro Neves

Sem imago Mundi.jpg

Exposição coletiva Sem Imago Mundi, antes um desvio aleatório com curadoria de Eduarda Neves, Planetário do Porto, 12 outubro a 16 Novembro 2018. Participando com Ana Guimarães e Tiago Veloso, Celeste Cerqueira, João Tabarra, Nuno Ramalho, Sérgio Leitão e Thiago Rocha Pitta.
Sem Imago Mundi, Antes um Desvio Aleatório,* toma como referencial crítico a obra de Lucrécio Da natureza das coisas [De rerum natura], poema filosófico dividido em seis livros, considerado um dos textos fundadores da cultura ocidental. Autor maldito, motivado pelo atomismo de Demócrito e pela filosofia moral de Epicuro de Samos, Lucrécio declara a presença do homem num universo sem deuses. Mais informação aqui.

Group exhibition Without Imago Mundi, A Random Diversion Instead, curated by Eduarda Neves, Planetário do Porto, 12th October – 16th November 2018. Participating along Ana Guimarães and Tiago Veloso, Celeste Cerqueira, João Tabarra, Nuno Ramalho, Sérgio Leitão and Thiago Rocha Pitta.
Without Imago Mundi, A Random Diversion Instead, takes as a critical reference the work of Lucretius 1 On the Nature of Things [De rerum natura], a philosophical poem divided into six books and considered one of Western culture’s founding texts. A cursed author, motivated by the atomism of Democritus and by the moral philosophy of Epicurus of Samos, Lucretius declares the presence of man in a universe without gods and distances himself from an anthropocentric vision. More info here.


Residência artística Montanha Mágica

Daniel Moreira e Rita Castro Neves

Residência artística Montanha Mágica. Arte e Paisagem/ UBI Universidade da Beira Interior, Covilhã, 24 Junho a 1 de Julho. Inauguração da exposição Residir é mais um atravessar. 7 de novembro 2018. Mais info: http://montanhamagica.ubi.pt/

Artist residency Magic Mountain. Art and Landscape / UBI University of Beira Interior, Covilhã, Portugal, 24th June till 1st July. Exhibition opening 7th Nov 2018. More info: http://montanhamagica.ubi.pt/
  
residir.jpg

Na nossa residência de uma semana serrana, residir é mais um atravessar. A cadência do caminhar diário marca o passo e a perspetiva sobre o lugar, a que se juntam as pausas: tempos para parar, tempos para pensar. E para recolher também: objetos e imagens – as mentais e as outras.  
E da entidade una da montanha, matérias por vezes despegam-se. São paus, ramos, pedras, frutos, pequenos animais, nevoeiro. Coisas intrigantes com as quais tentamos relacionar-nos, recuperar uma imagem na relação connosco e com a sua origem. Tudo é da montanha e tudo é de outra coisa também.
O trilho é circular, e vão-se descobrindo coisas no percurso.
Serra da Estrela, Junho 2018.


Jardim Atlântico

Daniel Moreira e Rita Castro Neves

Jardim Atlântico no Centro Cultural do Patrimônio Paço Imperial do Rio de Janeiro, em que participamos com Débora Mazloum, Hugo Rodrigues Cunha, Isaura Pena, Júnia Penna, Nena Balthar, Susana Anágua e Vanda Madureira. A curadoria é de António Olaio e Malu Fatorelli. 

The exhibition Jardim Atlântico at the Brazilian Centro Cultural do Patrimônio Paço Imperial in Rio de Janeiro, with ourselves, Débora Mazloum, Hugo Rodrigues Cunha, Isaura Pena, Júnia Penna, Nena Balthar, Susana Anágua and Vanda Madureira. The curatorship is by António Olaio and Malu Fatorelli. 

Convite_Jardim_Atlantico Paço.jpg

Jardins Botânicos, Coimbra e Rio de Janeiro (estudo 02), 2017/2018
Botanical Gardens, Coimbra and Rio de Janeiro (study 02), 2017/2018

Partindo da pré-existência dos jardins botânicos de Coimbra e do Rio de Janeiro, as fotografias a preto branco, mapeiam espaços, organizações, espécies e detalhes, sublinhadas e abertas pelos desenhos monocromáticos, num movimento em aproximação às práticas oitocentistas mais eruditas de tipo enciclopedista, mas também às mais privadas dos herbários caseiros e da observação natural da ilustração proto-científica ou mesmo dos primeiros fotogramas dos inícios da fotografia, de Henry Fox Talbot.

Jardins Botânicos, Coimbra e Rio de Janeiro (estudo 02)_resized_20180915_050742887.jpg

Alfabeto do Fogo, 2018 Som de Gustavo Costa.
Agradecimento especial ao Gustavo Costa/Sonoscopia.

Fire Alphabet, 2018. Sound by Gustavo Costa.
Special thanks to Gustavo Costa/Sonoscopia.

Alfabeto do Fogo é um vídeo realizado a partir de 30 fotografias em médio formato a preto e preto. A encenação proposta nesta animação, propõe uma linguagem nova – visual e sonora - a partir de dois paus queimados de uma árvore que outrora pertencia a uma floresta portuguesa, entretanto queimada nos grandes incêndios de 2017. Uma escrita de carvão para entender paisagens em mutação destrutiva.
É este o enquadramento (...) uma exterioridade que é o sincretismo de outra exterioridade. Robert Smithson descreveu tentativamente no seu “A provisional theory of non-sites” essa dualidade deslocada, ao mesmo tempo sintática e construtiva. O filme contido no dispositivo desenhado por Daniel Moreira explica esta sobreposição pois ele é o espaço (a superfície, o plano) que ganha forma, profundidade e conteúdo (na interação que se produz com as mãos e os paus de carvão, e no movimento de ambos) e que na cinemática que o invade se complica num sistema simbólico onde o reino puro das ideias (a abstração de que a folha branca tem uma densidade metonímica) se confunde expressivamente com a motricidade incompreensível, indeterminada dos dois paus de carvão. Pedro Pousada in "Trânsito vago", 2018

Alfabeto do Fogo_resized_20180915_050742441.jpg

Maputo 346,77km2

Daniel Moreira e Rita Castro Neves




Residência artística Maputo 346,77km2, julho de 2018, Moçambique. Instituto Camões/ Ministério Português dos Negócios Estrangeiros. Exposição no Camões - Centro Cultural Português em Maputo. Inauguração a 2 de agosto.

Artistic residency Maputo 346,77km2, July 2018, Mozambique. Instituto Camões / Portuguese Ministry of Foreign Affairs.
Exhibition at Camões - Portuguese Cultural Centre in Maputo. Opening on the 2nd of August.


Maputo Imagens Grelha.jpg

Leituras e feituras | O. Livro.de.Artista

Daniel Moreira e Rita Castro Neves






Exposição de Livros de Artista Leituras e feituras | O. Livro.de.Artista, na Árvore - Cooperativa de Actividades Artísticas CRL, com curadoria de Susana Bravo, Daniela Steele e Inês Linke. 20 de julho a 29 de agosto, Porto.

Group show of artista publications Leituras e feituras | O. Livro.de.Artista, at Árvore - Cooperativa de Actividades Artísticas CRL, curated by Susana Bravo, Daniela Steele and Inês Linke. 20th July until 29th August, Porto.


"Ainda, um lugar" de Daniel Moreira e Rita Castro Neves é um livro bilingue desenvolvido para a exposição realizada na Casa-Museu Medeiros e Almeida, em Lisboa, em março de 2018. Edição de 75 ex, numerada. 21 x 15 cm O texto crítico é da Gabriela Vaz-Pinheiro. Apoio à edição: Casa-Museu Medeiros e Almeida

"Ainda, um lugar" (Still, a place) by Daniel Moreira and Rita Castro Neves is a bilingual book developed for the exhibition that took place at Casa-Museu Medeiros e Almeida in Lisbon, in March 2018.
Edition of 75, numbered. 21 x 15 cm, The critic’s text is by Gabriela Vaz-Pinheiro. Edition supported by: Casa-Museu Medeiros e Almeida

Com os artistas/With the artists Agostinho Santos, Ana Cristina Dias, Ana Vidigal, Andrea May, António., António Olaio, Aruane Garzedin, Celeste Cerqueira, Constança Carreira, Cristiano Piton, Cristina Valadas, Daniel Moreira e Rita Castro Neves, David Gonçalves, Emereciano, Evelina Oliveira, Felipe Rezende, Fernando PJ, Gemma Marqués, Graça Martins, Helen Faganello, Irene Silva, Isabel Sá, Joana Rego, Jorge Pinheiro, Judite Pimentel, Lia Cunha + Coletivo TANTO, Lígia Aguiar, Marta Peneda, Mavi Escamilla, Nazaré Álvares Nettie Burnett, Neyde Lantyer, Nuria Villa, Raimundo Mundim, Rico Oliveira, Rui Anahory, Siza Vieira, Sofia Marques de Aguiar, taygoara Aguiar, Viga Gordilho, Zé da Rocha.

Portas do Tempo (Do Românico)

Daniel Moreira e Rita Castro Neves


Portas do Tempo (do românico) . Mosteiro de Bravães . Ponte da Barca . 2018 

ENTIDADE PROMOTORA
CIM Alto Minho

ORGANIZAÇÃO E PROGRAMAÇÃO
Centro Cultural do Alto Minho
Comédias do Minho
Teatro do Noroeste – CDV

CO-PROGRAMAÇÃO
ondamarela
Talkie-Walkie

INVESTIGAÇÃO
Raul Pereira

VISITA-PERFORMATIVA
ESPECIALISTA Alexandre Alves Costa
EQUIPA ARTÍSTICA Daniel Moreira e Rita Castro Neves com a participação da comunidade local



Oficina Casas.jpg

Instalacao Bravaes.jpg
Em Bravães, uma das mais revelantes obras do românico português, a instalação parte de uma reflexão sobre a arquitetura do lugar e da muito presente austeridade granítica que o espaço impõe.
À imagem projetada de uma casa arquetípica, juntam-se esculturas em terra, produzidas em grupo, no mais simples dos métodos construtivos. A estas, outras matérias locais se acumulam, a tecitura do linho e as possibilidades lumínicas do azeite. Matérias sensíveis e transformáveis, simultaneamente ancestrais e contemporâneas. 


In Bravães, one of the most relevant masterpieces of the Portuguese Romanesque, the installation stems from a reflection on the architecture of the place and from the pervading granitic austerity that the space imposes. Along the projected image of an archetypal house, we see earth sculptures produced by a local community resorting to the simplest constructive method. Other local materials are gathered, such as linen fabric and the lighting possibilities of olive oil. Sensitive and changeable materials, simultaneously ancestral and contemporary.



segunda-feira, 9 de abril de 2018

Colectiva de Desenho







Exposição colectiva na Extéril no Porto, de  24.03 a 11.0
curadoria de Teixeira Barbosa


O desenho apresenta-se como o meio mais habilitado para a apresentação das ideias e dos múltiplos modos de pensamento nas diversas áreas do conhecimento, das ciências às artes encontram-se distintos processos de registo gráfico que manifestam o pensável.
O desenho, por reflectir as ideias, torna-se no meio mais idóneo para as transmitir; com efeito, os sinais do desenho traduzem graficamente em estruturas visíveis, com grande dimensão operativa e instrumental, o que é idealizado, e, portanto, pensável, mas, também traduzem, com uma dimensão cognitiva e abstracta bastante elevada, as mesmas ideias e isto, justamente, é o que acontece no plano de registo, onde se defrontam e relacionam problemas complexos que comprometem um conhecimento existencial (Juhani Pallasmaa), não apenas racional, uma vez que a consciência humana é uma consciência corporal (Juhani Pallasmaa) que se encontra alojada na memória corporal, como experiência do mundo, permitindo um conhecimento existencial aparentemente oculto revelado na presença dos elementos plásticos.
Com esta exposição pretende-se colocar a par as múltiplas acções de intervenção gráfica que traduzem modos de ver e pensar, soluções gráficas e plásticas que tornam visível o plano das ideias, das sensações e da experimentação.



Artistas participantes:
Alberto Lage . Alexandre A. R. Costa Ana Efe . Ana Luisa Oliveira . Ana Pais Oliveira . Ana Torrie . André Silva Andy Calabozo . António de Sousa . António Troufa . Artur Durão . Beatriz Albuquerque . Beatriz Nunes . Camilo Rebelo . Carlos Mensil . Carlos Pinheiro . Carmo Azeredo . Carolina Grilo Santos Clara Silva . Clara Vale Cláudia Amandi . Cecília Albuquerque . Daniel Moreira . Daniel Silvestre da Silva . Eduarda Andresen . Eduardo Matos . Felícia Teixeira . Filipa Cruz . Filipa Ferreira . Filipa Pinho . Filipe Garcia . Francisco Braga . Francisco Laranjeira . Francisco Pessegueiro . Hugo Soares . Isaque Pinheiro . JAS . Joana Nieto Pimentel . João Baeta João Bonito . João Brojo . João Gigante . Joaquim Pinto Vieira . Joaquim Teixeira . Jorge Abade . Jorge Fernando Santos . Jorge Marques . José Cabral Dias . José Maria Lopes . Júlio Dolbeth . Leonel Cunha . Luís Filipe Rodrigues . Luís Fortunato Lima . Luís Viegas . Luísa Abreu . Luísa Lima . Mafalda Marques . Manuel Graça Dias Manuela dos Campos . Manuela São Simão . Maria Leonor Moreira . Maria Marinho Edgell . Mariana Sales Teixeira Marco Mendes . Mário Bismarck . Marta Silva . Miguel Bandeira Duarte . Miguel Seabra . Natacha Antão . Nazaré Alvares . Nuno Sarmento . Nuno Sousa . Paulo Bastos . Paulo Freire de Almeida . Paulo Luís Almeida . Paulo Moreira . Pedro Alegria . Pedro Maia . Pedro Sousa Vieira . Reis Valdrez . Ricardo Leite . Ricardo Rodrigues Rita Castro . Rui Cardoso . Rui Effe . Rui Vitorino Santos . Rute Rosas . Sandra Cardoso . Sandra Roda . Silvia Simões . Sofia Neto Teixeira Barbosa . Verónica Calheiros . Vítor Israel . Vítor Silva Cravo . Wiola Stankiewicz

Extéril : mais informação